segunda-feira, fevereiro 27, 2006

História Triste


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Debaixo da magnólia
No jardim sossegado
O mendigo adormecera…

Agora,
Já não tinha calor
Aquele corpo enregelado,
Ali, no banco, abandonado,
A vida, dele se esquecera.

Uma flor que caíra
Ao velho chapéu se lhe prendera…
E os raros que passavam
Na noite silencioso,
Não passavam,
E, de mais não cuidando,
Riam
Da caricatura
Do chapéu roto florido!

Somente um cão vadio
Que se fora aproximando
Tentou saber qualquer coisa;
Mas logo também se ia,
Soltando triste latido,
Ao sentir a mão tão fria
Que, do banco, imóvel, pendia…

Neste momento fugiu
Um pássaro que se assustou;
A magnólia estremeceu,
E mais uma flor tombou…

Já longe, o cão vadio,
Aos pávidos astros uivou…

João Fortunato

domingo, fevereiro 26, 2006

O que é o Projecto Esperança ?

O que é o Projecto Esperança ?
Não se pode exprimir por palavras a dor de um pai e de uma mãe ao perder o que de mais precioso têm na vida, o seu filho. Não existem palavras que traduzam o desespero e o sofrimento de uma criança a quem lhe é roubado o mundo em que vive.
Não queremos nem podemos ser indiferentes a toda esta infelicidade que nos rodeia, se cada um de nós der um pouco do seu tempo, do seu trabalho e da sua força podemos mudar algo. O nosso pouco pode levar muita esperança aos que dela vivem.
Desenvolvemos alguns cartões que poderá colocar facilmente no seu site pessoal, comercial ou blog. Estes cartões têm fotografias e informações de crianças desaparecidas em Portugal.
A internet é um poderoso recurso no combate a este tipo de problemas. Juntos poderemos levar estes rostos a milhares de pessoas.
Não permita que estas crianças caiam no esquecimento. Colabore!




Este site é inteiramente dedicado a crianças desaparecidas e tem como objectivo ajudar a encontrar essas crianças ou tendo noticias delas. Quanto maior for a publicaçao do desaparecimento maior é a chance de encontrar ou pelo menos ter noticias. E porque não ajudar? Não custa nada e sempre ajuda, amanhã podemos ser nos a precisar de fazer este apelo.

Endereço do Site: http://www.portoxxi.com/desaparecidos/

As sem-razões do amor


Foto: Brian Peterson

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

sábado, fevereiro 25, 2006

Tu és o que comes....



Fiz este teste e deu quase tudo certo comigo!

Tu és o que comes....

Queres saber o quê? Clica no link abaixo.
Recebi-o por mail.

http://istoe.terra.com.br/planetadinamica/produtos/teste_come/index.asp

O resultado do meu foi o seguinte:

Vive fazendo planos e projeções. É muito preocupado e se priva das coisas por excesso de cuidado. Gosta de desafios e fortes emoções.
Não se preocupa tanto com a beleza exterior e, sim, com a essência das coisas. Não consegue ficar sozinho. Gosta de estar sempre rodeado de amigos e da família. Gosta de manter o controle da situação e saber exatamente onde está pisando.Fica sempre em cima do muro na hora de tomar decisões.
Adora a comodidade proporcionada pela vida moderna. Até gosta de morar na cidade, mas não se dá bem com a correria, o trânsito e o stress. Fica ruminando seus problemas por dias, sem conseguir resolvê-los.

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

É assim que te quero, amor


Foto retirada da internet sem referência ao autor

É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita
de luz e pão e sombra, eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há-de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nossos lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.

Pablo Neruda

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Dorme meu anjo dorme


Espectacular Foto de: Elsa Mota Gomes

Dorme meu anjo dorme
Descansa nos braços meus
Enquanto dormes não vês
A indiferença de quem passa
Não quero que um dia a tua memória
Te lembre o que os teus olhos viram
Não quero que um dia recordes o frio
A fome, os rostos espantados
Os rostos de quem deu algo, com cara de quem deu tudo
Os rostos lavados em lágrimas
De algumas almas boas, que por aqui passam
E deixam o que podem
Quem sabe o que precisam.
Mas também passa por aqui
A ignorância, o desrespeito, a maldade
Mas dessas almas não te contarei meu anjo
Só das almas boas.

Dorme meu anjo dorme
Foste empurrado para meu braços
E nos meus braços ficarás
Não te abandonarei,
Não te deixarei cair, não enquanto viver
Posso passar por humilhações, desprezo
Perder os meus princípios, o meu orgulho
Mas a ti meu anjo protegerei.

Dorme meu anjo dorme
Só peço um tecto um prato de comida,
Não por mim… não… mas por ti
Já vivi tanto já passei por tanto
Oh se tu soubesses pelo que já passei…
Esta seria só mais uma prova da vida
Mais uma que como tantas outras
Consegui como pude com muito esforço
Com muita coragem, com garra
Mas consegui ultrapassar
Mas o que mais me dói aqui
No meu coração
É ter-te assim exposto, meu anjo.
Um dia perceberás? Me perdoarás?

Dorme meu anjo dorme
Um dia poderás lembrar-te
Desta casa ( rua )
Desta comida ( fome )
Mas também que nunca te abandonei
E sabes porquê?
Porque és o meu anjo, o meu tesouro precioso
És tudo o que tenho, e eu sou tudo o que tens
Somos só eu e tu, só tu e eu, mais ninguém, mais nada.

Dorme meu anjo dorme
Te cantarei uma canção
Para adormecer a tua memória
E acalmar meu coração
( o meu menino é d`oiro
é d`oiro o meu menino
Hei-de o levar ao céu
Enquanto for pequenino).

Dorme meu anjo dorme.

Teu-olhar


Com uma foto destas não são necessárias palavras a foto já diz tudo.

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

A Minha Amante


Foto: Graça Loureiro

Dizem que eu tenho amores contigo!
Deixa-os dizer!…
Eles sabem lá o que há de sublime
Nos meus sonhos de prazer…
De madrugada, logo ao despertar,
Há quem me tenha ouvido gritar
Pelo teu nome…

Dizem - e eu não protesto -
Que seja qual for
o meu aspecto
tu estás
na minha fisionomia
e no meu gesto!

Dizem que eu me embriago toda em cores
Para te esquecer…
E que de noite pelos corredores
Quando vou passando para te ir buscar,
Levo risos de louca, no olhar!

Não entendem dos meus amores contigo -
Não entendem deste luar de beijos…
- Há quem lhe chame a tara perversa,
Dum ser destrambelhado e sensual!
Chamam-te o génio do mal -
O meu castigo…
E eu em sombras alheio-me dispersa…

E ninguém sabe que é de ti que eu vivo…
Que és tu que doiras ainda,
O meu castelo em ruína…
Que fazes da hora má, a hora linda
Dos meus sonhos voluptuosos -
Não faltes aos meus apelos dolorosos-
Adormenta esta dor que me domina!

Judith Teixeira

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Era o último amor


Foto: Sara Amaral

Era o último amor. A casa fria,
os pés molhados no escuro chão.
Era o último amor e não sabia
esconder o rosto em tanta solidão.

Era o último amor. Quem advinha
o sabor pela escuridão?
Quem oferece frutos nessa neve?
Quem rasga com ternura o que foi verão?

Era o último amor, o mais perfeito
fulgor do que viveu sem as palavras.
Era o último amor, perfil desfeito
entre lumes e vozes passadas.

Era o último amor e não sabia
que os pés à terra nua oferecia.

Luís Filipe Castro Mendes

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

A Avó


Foto: José Marafona

A avó, que tem oitenta anos,
Está tão fraca e velhinha! . . .
Teve tantos desenganos!
Ficou branquinha, branquinha,
Com os desgostos humanos.

Hoje, na sua cadeira,
Repousa, pálida e fria,
Depois de tanta canseira:
E cochila todo o dia,
E cochila a noite inteira.

Às vezes, porém, o bando
Dos netos invade a sala . . .
Entram rindo e papagueando:
Este briga, aquele fala,
Aquele dança, pulando . . .
A velha acorda sorrindo,
E a alegria a transfigura;
Seu rosto fica mais lindo,
Vendo tanta travessura,
E tanto barulho ouvindo.

Chama os netos adorados,
Beija-os, e, tremulamente,
Passa os dedos engelhados,
Lentamente, lentamente,
Por seus cabelos, doirados.

Fica mais moça, e palpita,
E recupera a memória,
Quando um dos netinhos grita:
"Ó vovó! conte uma história!
Conte uma história bonita!"

Então, com frases pausadas,
Conta historias de quimeras,
Em que há palácios de fadas,
E feiticeiras, e feras,
E princesas encantadas . . .

E os netinhos estremecem,
Os contos acompanhando,
E as travessuras esquecem,
— Até que, a fronte inclinando
Sobre o seu colo, adormecem . . .

Olavo Bilac

Se as minhas mãos pudessem desfolhar


(Foto retirada da internet sem fazer referência ao autor)

Eu pronuncio teu nome
nas noites escuras,
quando vêm os astros
beber na lua
e dormem nas ramagens
das frondes ocultas.
E eu me sinto oco
de paixão e de música.
Louco relógio que canta
mortas horas antigas.

Eu pronuncio teu nome,
nesta noite escura,
e teu nome me soa
mais distante que nunca.
Mais distante que todas as estrelas
e mais dolente que a mansa chuva.

Amar-te-ei como então
alguma vez? Que culpa tem meu coração?
Se a névoa se esfuma,
que outra paixão me espera?
Será tranqüila e pura?
Se meus dedos pudessem
desfolhar a lua!!

Garcia Lorca

domingo, fevereiro 19, 2006

Esta manhã encontrei o teu nome nos meus sonhos


Foto retirada da internet com nome de autor Morgan de tei

Esta manhã encontrei o teu nome nos meus sonhos
e o teu perfume a transpirar na minha pele. E o corpo
doeu-me onde antes os teus dedos foram aves
de verão e a tua boca deixou um rasto de canções.

No abrigo da noite, soubeste ser o vento na minha
camisola; e eu despi-a para ti, a dar-te um coração
que era o resto da vida - como um peixe respira
na rede mais exausta. Nem mesmo à despedida

foram os gestos contundentes: tudo o que vem de ti
é um poema. Contudo, ao acordar, a solidão sulcara
um vale nos cobertores e o meu corpo era de novo
um trilho abandonado na paisagem. Sentei-me na cama

e repeti devagar o teu nome, o nome dos meus sonhos,
mas as sílabas caíam no fim das palavras, a dor esgota
as forças, são frios os batentes nas portas da manhã.

Maria do Rosário Pedreira

sábado, fevereiro 18, 2006

Há palavras que nos beijam


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Hoje decidi dedicar este dia à:


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Hoje decidi dedicar este dia à:
À pureza
À sinceridade
À doçura
À cumplicidade
À gentileza
À inocência
À humildade
À ternura
À fragilidade
À verdadeira amizade
Ao verdadeiro amor

Encontramos essas raridades
Num olhar
Num sorriso
Num gesto
E num abraço
De uma criança!

Porque as crianças
Não se mascaram
Não mentem para agradar
Seu sorriso é sempre sincero
Seu olhar é puro, límpido
Seu coração não tem maldade
Só verdadeiro amor.

Há muitas coisas que temos que ensinar às crianças
Como:
Andar
Comer
Falar
Vestirem-se
Escrever
Ler
E outras coisas banais…

Mas em matéria de sentimentos
De ser…
Elas dão-nos uma grande lição.

Teu-olhar

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Hora


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Sinto que hoje novamente embarco
Para as grandes aventuras,
Passam no ar palavras obscuras
E o meu desejo canta --- por isso marco
Nos meus sentidos a imagem desta hora.

Sonoro e profundo
Aquele mundo
Que eu sonhara e perdera
Espera
O peso dos meus gestos.

E dormem mil gestos nos meus dedos.

Desligadas dos círculos funestos
Das mentiras alheias,
Finalmente solitárias,
As minhas mãos estão cheias
De expectativa e de segredos
Como os negros arvoredos
Que baloiçam na noite murmurando.

Ao longe por mim oiço chamando
A voz das coisas que eu sei amar.

E de novo caminho para o mar.

Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Lágrima de preta




Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio.

António Gedeão

Foto de: Ana Baião retirada
daqui

terça-feira, fevereiro 14, 2006

O meu amor e eu


Foto: Tommy L. Ehvards

Construímos uma casa
De paredes lisas e claras
O meu amor e eu.
Percorremo-nos pelos cantos
Amámo-nos em todos os quartos
O meu amor e eu.
As paredes tingiram-se de cor
Porque alegria e riso é o amor
Do meu amor e o meu.
E as paredes onde nos amámos
O chão onde nos possuímos
A casa que construímos
O meu amor e eu
Cresceu tanto
Tem tantos quartos
Que é já uma cidade
A do meu amor e a minha.
Hoje, amamo-nos nas ruas
Nos jardins, praças e avenidas
Da cidade que nasceu
Da casa que construímos
O meu amor e eu.


Poema
encandescente Retirado do livro Encandescente

Frases de Amor



-O amor é o único jogo no qual dois podem jogar e ambos ganharem. (Erma Freesman)

-Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio. (Shakespeare)

-Senhores, faço uma aposta / de que ninguém desmente; / Em geral a gente gosta / de quem não gosta da gente.

-No fundo de cada alma há tesouros escondidos que somente o amor permite descobrir (E. Rod)

-A gente tem o costume de querer tirar da cabeça aquilo que está no coração.

-O amor só existe no coração de quem ama.

-A distância entre a amizade e o amor pode ser a distância de um beijo.

-O amor é uma flor delicada, mas é preciso ter a coragem de ir colhê-la à beira de um precipício. (Sthendal)

-Como são sábios aqueles que se entregam às loucuras do amor! (Joshua Cooke)

-O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição. (Aristóteles)

-... ainda que eu falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria (Essa frase está na Bíblia Sagrada, no capítulo 13 da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.)

-Há vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la. (Carlos Drummond de Andrade)

-O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá, mais se tem. (Saint Exupèry)

-Bondade é amar as pessoas mais do que elas merecem. (Joseph Joubert)

-Amor não se conjuga no passado; ou se ama para sempre ou nunca se amou verdadeiramente. (M. Paglia)

-É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar para pensar, na verdade não há. (Renato Russo)

-Não sou teu dono! Apenas te amo. Por isso te liberto, pois para mim mais vale ver teu sorriso longe dos meus braços do que sentir tuas lágrimas a molhar meu peito. (D.C.)

-Para fazer uma obra de arte não basta ter talento, não basta ter força, é preciso também viver um grande amor. (Wolfgang Amadeus Mozart)

-A coisa mais importante que um pai pode fazer pelos seus filhos é amar a mãe deles.

-É preciso sofrer depois de ter sofrido, e amar, e mais amar, depois de ter amado (Guimarães Rosa)

-Nunca digas que esqueceste um amor diga apenas que consegue falar nele sem chorar, pois o verdadeiro amor é...inesquecível

-Não somos amados por sermos bons. Somos bons porque somos amados. ( Desmond Tutu)

-É mais fácil ser amante do que marido, pois é mais fácil dizer coisas bonitas de vez em quando do que ser espirituoso dias e anos a fio. (Honoré de Balzac)

-Um coração feliz é o resultado inevitável de um coração ardente de amor (Madre Teresa)

Frases retiradas
Daqui


Sugestao dia de S. Valentim

Vai uma sugestão para o dia de S. Valentim?



Começa o dia de S. Valentim oferecendo-lhe...



Envia junto um cartão, diz o que sentes, o que te vai no coração.


Enche-lhe a caixa de mensagens do telemóvel,


diz-lhe o que dizes aos outros dias, ou não?
se calhar pensas que os outros dias não é dia dos enamorados.
Ou para ti dia dos namorados é todos os dias?



Tirem a noite só para vocês... e ...


Comecem a noite com um jantar romântico



Depois porque não irem ao cinema assistir a um filme de romance/romântico!?



Como por exemplo este filme Moulin Rouge, vi este filme e marcou-me, um dos mais bonitos filmes que já vi se não o mais bonito, mas já vai uns 4 anitos que o vi, ainda me lembro dos pacotes de lenços que usei, é só prejuizo hehehe.



E depois que tal, passear pela praia ...



Namorarrrrrrr


E depois quem sabe?...



Mas vocês não querem não é? Nem sequer tinham pensado nisso...
Eu é que sou uma safada hehehehe.


Vivam este dia da melhor forma, dêem asas á imaginação.
E amem-se mas amem-se muito. E não se esqueçam dia dos namorados
é todos os dias e não uma vez por ano. E quando digo namorados refiro-me
também aos casados que não deviam deixar de serem namorados.
E também as namoradas, o amor é para todos, o amor não tem preconceito
as pessoas é que tem.

Claro que é uma sugestão. E perguntam vocês, mas quem foi que te pediu sugestões?
Sei lá ! Lembrei-me. Não tinha mais em que pensar... deu nisto.

Feliz dia de S. Valentim

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Versos desencontrados


Foto de: Paulo Cesar

Em nada ou em ninguém
Eu deveria acreditar!
Nem no amor, nem na vida. - As ilusões,
Mesmo até quando vêm disfarçadas
E já conhecem o cliente, hesitam,
E chegam a partir envergonhadas...
As ilusões -
Também têm os seus mais preferidos;
E àqueles que ficaram na ruína
Do pensamento, e são - por graça de conquista
Os pálidos mortais desiludidos,
A esses já não correm muito afoitas
Na mentira das grandes fantasias!
- É por isso que eu hoje ainda vivo
À margem das ridículas tragédias
Que lemos nos jornais todos os dias.

Atulham-se os presídios; no degredo,
Atados à saudade, vão ficando,
- Como lesmas ao luar, esses que matam,
E pelo amor tombaram na desgraça:
- Um sonho, um beijo, uma mulher que passa!
Só a guitarra os lembra ao triste fado
Nos ecos diluídos e chorosos
E fundos do lusíada, coitado!
Eu olho para tudo que enxameia
Nesta viela escura da existência
Como quem se debruça num abismo
E fica revolvendo a consciência
Na tristeza infinita de um olhar!...
- A humanidade é vil e o seu egoísmo
Tem base na vileza de vexar.

Sim;
Por qualquer coisa os homens tudo vendem:
Palavra, dignidade, a própria vida,
Só porque desconhecem a doutrina
Bendita de Jesus; - esse tesoiro,
Essa fonte de luz onde aprendi
A ser leal e amigo e a respeitar
Aquela que nos risos do meu lar
Desembaraça os fios de uma queixa
No mistério que cinge o verbo amar.

Mas quando um ano acaba e outro vem,
Embora a minha fronte e os meus cabelos
Envelheçam na marcha para o fim
E um sabor de renúncia e de cansaço
Vibre, cantando, aqui, dentro de mim,
Rebenta-me no peito uma esperança
Tão lúcida, tão viva, e tão ungida
Na fé que ponho erguendo a minha prece -
Que peço a Deus do fundo da minha alma
Que a todos os que sofrem neste mundo
Dê o conforto de uma vida calma.

António Botto

domingo, fevereiro 12, 2006

ARDENTE


Foto de: Brian Peterson

Em alguns instantes
Te amo,
N´outros
Enlouqueço,
Esqueço tal dor.
Te empresto
Meus olhos,
Fico cega de amor.
Num momento, penso;
N´outro não falo,
Esmago o tremor.
Vacilo,
Me entrego,
Me nego,
Sou toda ardor!
Por um tempo
Me calo...
Se corro
Ou fico
Se paro ou vou
Alucino
Desatino
Demente de amor!

Neida Moraes


Passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos.

Eugénio de Andrade

sábado, fevereiro 11, 2006

Horizonte


Foto retirada da internet sem referência ao autor( Luanda )

Horizonte-
O meu tempo já é de espera!
Sinto-me tão cansada de tudo, de todos, do arruma-cozinha- come-cozinha-arruma..., suja-lava-passa
arruma-suja!
Cansada até do nada, até de mim...até da vida!
Calor... como gosto do calor...calor...oh calor!
O sol começa a cair no horizonte...estarás além?
Não...sim... talvez... o tempo pára, os ruídos desaparecem e o silêncio toma conta de mim... estarás além?
Não... sim... talvez... vem buscar-me, leva-me, tira-me daqui, não deixes que eu perca os sonhos...estarás além?
Não... sim...talvez...não queiras...não podes... estarás além?
Não... sim...talvez...por favor não me faças chorar, não me faças recordar...detesto a saudade...estarás além?
Fico serena! Tão serena! Estupidamente serena!
Oiço sons melodiosos ...de ocarinas, kissanges, berimbaus, tambores...numa mistura de calmia, de prazer, de sonho como uma rebita!
Danço descalça na areia molhada e com uma lágrima no canto do olho... estarás além?
Noite...a lua bem cheia...terna, aconchegante...apontou o seu brilho mais intenso...sim...é ali para onde olhas que está...o que era teu, somente teu!
Havia tanto espaço e hoje o teu espaço é...estarás além?
Uns braços fortes apertam-me...não chores... não quero ver-te assim... porque eu estou ali SIM ...
e porque estou no teu coração, anda...por agora... vou levar-te comigo!!!!
Morri acariciada...fui e já não voltei!!!
Obrigado Luanda!


Fatyly
17/07/2004

Com uma lágrima no canto do olho... (Bonga)
Vou levar-te comigo... (Duo Ouro Negro)


" musica de fundo "

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

"Ó Angola meu berço do Infinito"


Foto retirada da internet sem referência ao autor( Luanda )

Ó Angola meu berço do Infinito
meu rio da aurora
minha fonte do crepúsculo
Aprendi a angolar
pelas terras obedientes de Maquela
(onde nasci)
pelas árvores negras de Samba-Caju
pelos jardins perdidos de Ndalatandu
pelos cajueiros ardentes de Catete
pelos caminhos sinuosos de Sambizanga
pelos eucaliptos das Cacilhas
Angolei contigo nas sendas do incêndio
onde os teus filhos comeram balas e
regurgitaram sangue torturado
onde os teus filhos transformaram a epiderme em cinzas
onde das lágrimas de crianças crucificadas
nasceram raças de cantos de vitória
raças de perfumes de alegria
E hoje pelos ruídos das armas
que ainda não se calaram pergunto-me:
Eras tu que subias montanhas de exploração?
que a miséria aterrorizava?
que a ignorância acompanhava?
que inventariavas os mortos
nos campos e aldeias arruinados
hoje reconstituídos nos escombros?
A resposta está no meu olhar
e nos meus braços cheios de sentidos

(Angola meu fragmento de esperança)
deixai-me beber nas minha mãos
a esperança dos teus passos
nos caminhos de amanhã
e na sombra d'árvore esplendorosa.)

João Maimona

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Traduzir-se


Foto de: Joel Calheiros

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

Ferreira Gullar

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Vida Social

Foto retirada do site do autor do poema
Stress, falsidade, inveja...
É a vida real
Tudo é sacrifício, tudo é problema.
Muita pobreza, muita miséria.
Liberdade é condicionada,
Por uma sociedade racista!
Que não olha a meios
para subir na vida!
Destruindo a vida dos outros,
Que lutam por uma vida melhor.
Por um mundo onde reine
A igualdade, a justiça,
O amor pelo próximo...
Violência, sofrimento, morte
Esta é a realidade do dia a dia
Das pessoas que
Simplesmente querem
Ter todos os dias o seu ganha pão.
Não é brincadeira,
Não é nenhuma historia!
É verdade,
Isto é a realidade
De muitas pessoas,
Que sofrem todos
os dias na pele o medo,
De morrer...
De não conseguir dormir com
Com medo
de não voltar a acordar!!!


SergioPower

Gaiola de vidro


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Como paredes através das quais
o mundo vemos pelo ser dos outros,
quem vamos conhecendo nos rodeia,
multiplicando as faces da gaiola
de que se tece em volta a nossa vida.

No espaço dentro (mas que não depende
do número de faces ou distância entre elas
nós somos quem nós somos: só distintos
de cada um dos outros, para quem
apenas somos uma face em muitas,
pelo que em nós se torna, além do espaço
uma visão de espelhos transparentes.

Mas o que nos distingue não existe.

Jorge de Sena

A volta


Foto de: Eugenio

Tão só em prosseguir busquei sentido
e o caminho é sem regresso a quem caminha
por nenhum instinto além reconhecido.
Espaço meu ou de loucura, era sozinha.

Vinha de não sei onde, lar perdido
de mim mesma, ou infância. Vinha
quando apenas vi que recobrara o ido
antigo estar em tal estância, minha.

E tudo que abandonei, o a que deu termo
muda solidão pairando em grito ermo,
largo deserto visto em falso medo,

tudo que abandonei, faz companhia.
Enquanto, indo, um ocaso brando me assistia
eis que amanheço em mim, volto a ser cedo!

Maria Ângela Alvim

terça-feira, fevereiro 07, 2006

O Encanto Acabou...


Foto de: Sara Amaral

Olhe mais uma vez, a última,
Em meus olhos, fotografe a tristeza...
E leve para sempre um travo amargo.
Da sua injustiça, carregue a certeza...

Meus olhos perdidos estão...
Vagam na noite escura ...
Nada penso, nada digo, sou conflito...
Vazio... vazio imenso, amargura...

Vá agora... não olhe para trás...
Nem uma palavra por favor...
Deixa que sobrem lembranças boas,
Daquele enorme e tão feliz amor...

O elo mágico arrebentou e por
Mais que eu queira dizer da dor,
Os lábios tremem, estou sem voz,
A boca balbucia, vá com Deus amor...

Minha vida aqui faz uma fermata...
O fio dourado, se partiu, arrebentou...
Nossas almas e corações choram.,
Acordamos do sonho, o encanto acabou...

Marilena Trujillo

um caiar com lágrimas o silêncio sobre o silêncio


Foto retirada da internet sem referencia ao autor

e choro!
tu não vês as minhas lágrimas, mas choro!
por uma vida perdida,
um sorriso esquecido
numa dor ressentida

sim, tu não vês as minhas lágrimas, mas choro!
com medo de perder-te
por te amar
sem tocar o teu corpo

pelo silêncio da noite
pelo mundo,
de uma onda até ao luar.

tu não vês as minhas lágrimas, mas choro!
por ser dia,
e acordar assim perdida,
de medo à solidão.

com mágoa,
deitada, mesmo acordada
no rigor do inverno frio

tu não vês as minhas lágrimas, mas choro!
por querer achar respostas,
viver no silêncio,
nas palavras dos sonhos
dentro, com a alma aflita,

choro,
choro com medo ou ternura
duma infelicidade que dura,

sim,
tu não vês as minhas lágrimas,
mas eu choro!


L.Maltez

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Eu Queria


Foto retirada da internet

Tantas promessas feitas por nós dois
Não sabemos nem por quê
Por que o amor foi acabando assim?
A cada novo amanhecer
Tantos momentos que se vão de nós
Sonhos, planos, fantasias
Tantos amores a passar por nós
Todas canções e as poesias

Vou tentar parar o tempo
Num abraço te prender
Com as garras afiadas
Pra não te perder
E apagar do pensamento
Toda vez que você ia
Eu queria, se queria
Mas se não te dei o mundo
Hoje eu sei bem como é
Como faz a sua falta em minh´alma
Eu queria nessa hora te sentir a cada dia
Eu queria, se queria.....

Tantos momentos que se vão de nós
Sonhos, planos, fantasias
Tantas promessas de um grande amor
Que com o tempo se dilacerou.

Refrão ........
vou tentar parar o tempo
Num abraço te prender
Com as garras afiadas
Pra não te perder
E apagar do pensamento
Todo a vez que você ia
...e eu queria... se queria

...e eu queria... se queria

E apagar do pensamento toda vez que você ia
Eu queria, se queria….
Tantos momentos que se vão de nós
A cada novo amanhecer…

Letra traduzida Yo Queria de Christian Castro
(musica de fundo)

domingo, fevereiro 05, 2006

Outra "corrente"


Foto retirada da internet

A Wind Passou-me esta corrente: manias.

1. Deito-me tarde e levanto-me tarde.

2. Antes de ir dormir bebo sempre café .

3. Quando estou a fazer uma coisa Faço-a ate ao fim, não gosto de estar a fazer duas coisas ao mesmo tempo.

4. Sou bastante preguiçosa.

5. Passo horas frente ao computador.

E acho que já chega hehehe. Bom cumpri a minha tarefa ufff já passou! Não vou passar estas " manias " se alguém quiser que o faça. Fica á vontade de cada um!

Teu-olhar



Sensual


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Ainda sinto o teu corpo ao meu corpo colado;
nos lábios, a volúpia ardente do teu beijo;
no quarto em solidão, desnuda, ainda te vejo
a olhar-me com o olhar nervoso e apaixonado...

Partiste!...Mas no meu peito eu sinto a ânsia e o latejo
daquele último abraço inquieto e demorado;
na quentura do espaço a transpirar pecado,
ainda baila a figura estranha do desejo...

Não posso mais viver sem ter-te nos meus braços...
Quando longe tu estás, minha alma se alvoroça
julgando ouvir no quarto o ruído dos teus passos...

Na lembrança revejo os momentos felizes,
e chego a acreditar que a minha carne moça
na tua carne moça até criou raízes!...

J.G. de Araújo Jorge

A vergonha da humanidade




Por esta campanha este blog estará 7 dias sem post novos!!

Repassando o post de iniciativa dos blogs:

http://mundoanimal2.blogspot.com/
http://guerreirosdoarcoiris.blogspot.com
http://guerreirosdoarcoiris.blogs.sapo.pt
http://therainbowwarrior.blogspot.com
http://www.blogueiros.com
http://muitofofo.blogspot.com
http://desambientado.blogspot.com
http://ambientehoje.blogspot.com
http://meuamigobicho.zip.net/
http://faveiroformacao.blogspot.com
ttp://nimbypolis.blogspot.com
http://eduambiental.blogspot.com/
http://amaroinfinito.blogspot.com/
http://bordadodemurmurios.blogspot.com
http://diariobitta.blogspot.com/
http://ardeoazul3.blogspot.com/
http://silvarosamaria.blogs.sapo.pt/
http://ambientenosbiscoitos.blogspot.com
http://www.adireccaodovoo.blogspot.com
http://jorgemoreirashakti.blogspot.com
http://flordojardin.blogspot.com
http://www.selmandrea.blogspot.com
http://etnobotanica-dos-acores.blogspot.com
http://imaginografias.blogspot.com
http://nimbypolis.blogspot.com
http://eduambiental.blogspot.com/
http://amaroinfinito.blogspot.com/
http://bordadodemurmurios.blogspot.com
http://diariobitta.blogspot.com/
http://ardeoazul3.blogspot.com/
http://silvarosamaria.blogs.sapo.pt/
http://ambientenosbiscoitos.blogspot.com
http://www.adireccaodovoo.blogspot.com
http://jorgemoreirashakti.blogspot.com
http://flordojardin.blogspot.com
http://www.selmandrea.blogspot.com
http://etnobotanica-dos-acores.blogspot.com
http://imaginografias.blogspot.com
http://plagiadissimo.blogspot.com/
http://mundoanimal2.blogspot.com/
http://guerreirosdoarcoiris.blogspot.com/
http://teu-olharmeu-olhar.blogspot.com/

Copie esse post e cole-o no seu blog como iniciativa em defesa das baleias quanto mais gente entrar nesta campanha, mais pessoas ficarão cientes do que está acontecendo. E quem sabe alguma coisa será feita? Uma corrente de união dos blogueiros na internet. Coloque o endereço do seu blog no post.(seu blog aqui). Se você aderir à campanha nos avise para visitarmos seu blog.International — Os japoneses estão colocando vidas humanas em risco para caçar baleias, na região da Antártida. No último sábado, dia 14, um arpão foi disparado em direção às baleias e passou a aproximadamente um metro de distância dos ativistas do Greenpeace que estavam em um bote, tentando impedir a caça.

International — Os japoneses estão colocando vidas humanas em risco para caçar baleias, na região da Antártida. No último sábado, dia 14, um arpão foi disparado em direção às baleias e passou a aproximadamente um metro de distância dos ativistas do Greenpeace que estavam em um bote, tentando impedir a caça.

leia mais aqui

É a sua vez de salvar as baleiasInternational — Os botes infláveis já foram puxados para a terra. A tripulação está exausta, o barco precisa de combustível e é hora de levar a campanha para salvar das baleias dos oceanos para a rua principal. Veja a reportagem e o vídeo, conselho nao verem quem nao gosta de ver cenas fortes, a baleia leva mais de trinta minutos para morrer numa agonia constante!!

veja video fundo pagina aqui

comentáriosCada um ajuda como pode, não adianta você ficar aí sentada(o) sentindo pena das baleias e não fazer nada para ajudar, se você é blogueiro divulgue a notícia se todos blogueiros divulgarem será uma campanha grandissima e isso fará as autoridades tomarem providências. Copie o post no seu blog.copie da caixinha a baixo no seu post e coloque o titulo acima:"A vergonha da humanidade"

Desambientado

A fortaleza do espírito


Foto de: Sascha Huettenhain

Às vezes, parece que a vida não é mais do que um teste para nossa paciência e resistência.

Há dias em que a alegria já acorda em nossa companhia; e há dias em que levantamos sem ânimo, sem mesmo saber para quê, pois até a esperança de felicidade parece extinguir-se.

O cansaço e a desesperança atacam a todos, sem excepção; e há os que sucumbem e se rendem à vida, abandonando a luta e aceitando a derrota.

Que tu não sejas um destes e acordes, hoje, como um bravo; alguém a quem a vida, muitas vezes, não oferece nada, nem mesmo a esperança - mas que, mesmo assim, cerra os dentes, levanta, reage e luta!

Que acordes como um valente, de quem o destino pode tirar os sentidos e a respiração, mas não pode tirar a coragem.

Pois, se a vida nos testa, mostremos a ela que nosso corpo pode ser frágil, mas que nossa alma é de aço.

E que a espinha de um bravo verga, mas não quebra!

Autor desconhecido-Retirado
daqui

sábado, fevereiro 04, 2006

Não há vagas



O preço do feijão
não cabe no poema. O preço
do arroz
não cabe no poema.
Não cabem no poema o gás
a luz o telefone
a sonegação
do leite
da carne
do açúcar
do pão

O funcionário público
não cabe no poema
com seu salário de fome
sua vida fechada
em arquivos.
Como não cabe no poema
o operário
que esmerila seu dia de aço
e carvão
nas oficinas escuras

- porque o poema, senhores,
está fechado:
"não há vagas"

Só cabe no poema
o homem sem estômago
a mulher de nuvens
a fruta sem preço

o poema, senhores,
não fede
nem cheira.

Ferreira Gullar
(25/5/63)

sexta-feira, fevereiro 03, 2006


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Um pano enrugado pendurado como uma cortina de um palco,
Seu quarto, de seis por quatro tatamis.
Trabalho árduo todo dia – o de prostituta.
Ela dorme profundamente – sua face pálida.
Ela quer sorrir, mas nada de sorrisos em sua face.
Ela quer chorar, mas mesmo a tristeza está perdida.
Trabalho árduo todo dia – o de prostituta.
Aqui estou, nenhuma palavra para lhe dizer,
nada para lhe oferecer.
Adoço o fruto do espinheiro,
Apenas trago e umedeço meus lábios de néctar.

Saisei Muroo

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Helena e Teresa não podem casar



A 7ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa recusou o pedido para celebração de casamento feito ontem por duas mulheres. O advogado do casal conheceu a decisão esta manhã e não ficou surpreendido.

A decisão do conservador da 7ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa era já a esperada, já que o Código Civil português só prevê casamentos entre pessoas de sexo diferente.

O conservador entendeu que não deve avaliar a eventual inconstitucionalidade do artigo 1577º do Código Civil e indeferiu o pedido de Helena Paixão e Teresa Pires, feito ontem.

Helena e Teresa não querem desistir e entregaram já o recurso ao tribunal de Primeira Instância cível.

Fonte de Informação e foto Sic
http://sic.sapo.pt/online/homepage

( E pronto o nosso Pais deu um passo para trás, será que alguma vez deu um passo para a frente?! Espero que estas mulheres e outras mulheres e outros homens consigam alcançar seus objectivos e sonhos! )

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Delírio


Foto retirada da internet sem referência ao autor

Da vida quero toda a vibração, quero o delírio,
um amor que excite todos os meus sentidos,
mas que tenha na alma seu maior afrodisíaco...

Não esperamos tanto para almejarmos
a sombra de uma árvore,
a contemplação das águas de um regato
suavemente cumprindo seu caminho,
ou de nuvens brancas no céu deslizando,
a desenhar figuras delicadas...

Não nos satisfazemos mais
apenas com o etéreo, os mistérios da vida,
os sonhos distantes, a ausência física...

Queremos ser de uma estória de amor
os heróis, os principais protagonistas;
talvez o centro do mundo,
ainda que na visão deturpada
de dois apaixonados...

Que um turbilhão nos engolfe, nos arraste...
É fim de festa, vale tudo: pés descalços
e rostos sem nenhuma máscara...

Cecília Quadros
Poema retirado daqui




Registo Civil recebe pedido para casamento lésbico



Teresa e Helena, as duas mulheres que vivem em união de facto há três anos, entregaram, num acto sem precedentes, o pedido de autorização para o seu próprio casamento. A sétima conservatória do Registo Civil de Lisboa decidiu que decide amanhã se estas duas mulheres podem ou não dar o nó. Que se saiba, pela primeira vez em Portugal, uma conservatória do Registo Civil recebeu os Documentos para um casamento homossexual e agora falta a decisão. Ainda sem saber se vão poder ou não trocar alianças, Teresa e helena que já se sentem noivas há muito tempo prometem não baixar os braços. A história já passou fronteiras, como prova a presença de agências noticiosas inglesas e francesas e televisões do Brasil e de Espanha, ainda que apenas para cobrir o adiamento da decisão.

Fonte Tvi www.tvi.iol.pt

Casal de lésbicas vai tentar casar


Foto retirada da internet sem nome do autor

Um casal de lésbicas vai tentar casar numa conservatória do registo civil, quarta-feira. A tentativa em princípio não passará disso mesmo, mas as duas mulheres garantem que vão até ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. Querem ter os mesmos direitos das outras pessoas.
Há muito que as associações de gays e lésbicas lutam por uma igualdade de direitos. O casamento faz parte dos planos de qualquer casal. Por isso não percebem porque não o podem fazer. Teresa e helena estão cansadas de lutar por direitos iguais.
Amanhã vão, pelo menos, tentar «dar o nó». Mas as leis nem sempre estão do mesmo lado e caso o conservador não aceite casá-las, estão dispostas a ir até ao fim.
Amanhã pode ser o primeiro passo e acreditam que um dia, o que aconteceu há um ano em Espanha aconteça em Portugal, ou seja, o Parlamento aprovar uma lei que permita o casamento entre pessoas do mesmo sexo.


Fonte Tvi

( Eu acho que o casamento entre homossexuais deveria ser permitido pela lei, seja em Portugal seja em que pais for. Cada um ama quem quer. Se são felizes amando pessoas do mesmo sexo, então que assim seja. Há pessoas que pensam que os homessexuais são pessoas doentes e por isso precisam tratarem-se. Enfim à muito preconceito no nosso pais e no mundo, e essas pessoas ainda dizem que sabem o que é o AMOR! sabem mesmo? Espero sinceramente que esse casal de lésbicas, hoje mudem o nosso pais e que consigam casar-se. Admiro a coragem, desse casal de lésbicas que provaram ao pais, aqueles que quiseram ver que afinal o Amor existe para todos! E
não apenas em casais hetero. )